Preocupados em se reeleger, deputados abandonam Reforma da Previdência

Segundo levantamento feito pelo Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis), que entrevistou 512 dos 513 deputados, 205 parlamentares disseram que são contra a proposta do governo de Reforma da Previdência. Para aprovar a PEC 287/16 são necessários 308 votos. O levantamento foi feito entre os dias 9 e 16 de maio.

Apenas 77 deputados disseram que são a favor. Desses, 36 confirmaram que votariam sim, mas com ressalvas. Entre os indecisos estão 57 deputados. Outros 173 não quiseram responder. Só uma deputada não foi consultada porque está de licença médica.

Em maio deste ano, o Datafolha revelou que sete entre dez brasileiros eram contra a reforma da previdência. Enquete feita no site do PMDB, partido do presidente Michel Temer, mostrou índice ainda maior, com 95% dos internautas contrários à reforma.

Camara

Para o presidente da Anapar, Braulio de Carvalho, os parlamentares estão deixando de lado os interesses do mercado e reconhecendo a vontade da população. “Como as eleições de 2018 estão se aproximando e os deputados querem se reeleger, uma vez que muitos deles têm interesse em manter o foro privilegiado, agora eles começam a perceber que não podem abandonar o eleitor. Muitos direitos foram retirados com a reforma trabalhista, a terceirização irrestrita e a PEC que limitou por 20 anos investimentos na saúde, educação e em vários outras áreas. Então, aprovar a reforma da Previdência seria sacramentar de vez o fim do projeto de se reeleger”, aponta Braulio.

Em meados de julho deste ano, a CPI da Previdência no Senado revelou que não existe rombo na seguridade social como vem propagando o governo. Ao contrário disso, há superávit nas contas previdenciárias.

Scroll To Top