Pressão das entidades mobiliza dirigentes contra a extinção de convênio com o INSS

10 de Janeiro de 2020

Conforme denunciado pela Anapar ainda em 2019, INSS, em decisão unilateral, decidiu suspender o convênio que mantinha há décadas com os fundos de pensão, pelo qual o pagamento dos benefícios da previdência social era antecipado pelas entidades fechadas de previdência complementar com ressarcimento posterior por parte do governo. Previ, Petros e Funcef, os três fundos com maior número de assistidos prejudicados com esta decisão, comunicaram os aposentados em dezembro, a alteração nas datas de pagamento ocorrerá a partir de março. Após pressão de entidades de representação dos trabalhadores, como a Fenae, que cobrou da Funcef um posicionamento em defesa de seus participantes e assistidos, há uma mobilização para tentar reverter este quadro. O presidente da Funcef, Renato Villela, anunciou que esteve reunido com representantes da Previ e com parlamentares, para buscar uma solução. Marcel Barros, diretor eleito de Seguridade da Previ e vice-presidente da Anapar, negociou, conjuntamente com o Banco do Brasil, a manutenção do convênio, desde quando o INSS comunicou aos fundos a decisão de romper a parceria. Leia o que publicamos sobre o tema, em dezembro do ano passado e assista ao vídeo em que nosso vice-presidente explica sobre a negociação.

Whatsapp