Os planos CD serão os primeiros afetados pela crise do novo coronavírus

De: 11 de maio de 2020 maio 16th, 2020 Notícias

Os efeitos da pandemia do novo coronavirus atingem com intensidade o mercado financeiro brasileiro desde fevereiro. No dia 31 de janeiro de 2020, o Índice IBOVESPA foi de 116 mil pontos. No dia 23 de março, registrou pouco mais de 60 mil pontos, menor valor em 2020, com queda de quase 50% em relação ao valor do útimo dia de janeiro. Atualmente o índice IBOVESPA está no patamar de 78 mil pontos, melhor do que em meados de março, mas ainda bem aquém dos valores de janeiro.
De acordo com o consultor e especialista em previdência complementar Luiz Felippe Fonseca, nem a renda fixa escapou do novo coronavirus. Em março, muitos fundos de renda fixa administrados pelos grandes bancos brasileiros tiveram rendimentos negativos.
E para os planos de Contribuição Definida, infelizmente, os impactos são imediatos. Luiz Felippe Fonseca explica que são planos que trabalham com saldos de contas individuais que foram, em sua grande maioria, duramente afetados pelos resultados negativos dos investimentos no ano de 2020, especialmente nos meses de fevereiro e março.

Com a redução significativa dos valores dos saldos de contas individuais, observamos os seguintes efeitos para participantes e assistidos:

1 – Participantes que desejam se aposentar no curto prazo terão o valor do seu benefício reduzido em relação ao benefício que teriam, se fosse concedido até janeiro de 2020, pois o nível de benefício é função direta do saldo de conta individual;

2 – Os valores dos benefícios já concedidos e que são pagos por quantidade de cotas mensais ou por percentual do saldo de contas individual são reduzidos de imediato, pois mensalmente acompanham, respectivamente, o valor da cota ou o saldo de conta individual, que apresentaram queda em razão da crise econômica;

3 – Os valores dos benefícios que são estabelecidos por recálculo atuarial anual (prazo indeterminado), serão impactados pela queda no valor do saldo de contas individual no mês do recálculo, previsto em Regulamento.

A recuperação dos níveis de benefícios acontecerão com a recuperação da economia e com a melhora nos resultados dos investimentos.
Infelizmente nessa modalidade de planos, não há plano de equacionamento com compartilhamento de contribuições entre patrocinadores, participantes e assistidos. Nesse caso, os participantes assumem sozinhos todos os efeitos perversos da crise sobre seus benefícios.

Deixe uma resposta

Scroll Up