Parlamentares relançam frente em defesa do serviço público

Durante o seminário de relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público, nesta quarta-feira (23/10), participantes criticaram a reforma administrativa anunciada pelo governo. A Anapar acompanhou o debate. De acordo com declarações dadas por integrante do Executivo, a proposta, que deve ser apresentada semana que vem, traz o fim da estabilidade para várias carreiras e a redução de salários, foram atacadas.

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, sempre citou o Chile como exemplo, mas agora a população daquele país está nas ruas por mais qualidade de vida. Muitos sindicalistas presentes lembraram que o sistema de saúde e o ensino superior chilenos são pagos.

Fontana disse que reduzir a importância dos servidores públicos facilita a privatização de serviços e empresas. “Não podemos aceitar a criminalização do serviço público que está sendo feita por estes governos de porte ultraliberal por absoluto interesse corporativo daqueles que querem comprar o que é público e daqueles que querem atuar com liberdade plena para ampliar a sonegação de impostos e para desamarrar controles de interesse público, que garantem o interesse da sociedade. Esse é o jogo do poder.”

Reformas
O consultor de entidades sindicais Vladimir Nepomuceno disse que boa parte das propostas que vêm sendo elencadas para a reforma administrativa fazem parte de estudos do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional, realizados em 2017. Alguns exemplos de medidas que poderiam ser adotadas são a redução de jornada com redução de salário, a fusão e extinção de carreiras, e a redução do salário de entrada no serviço público.

Agência Câmara

Scroll To Top