“No futuro todos seremos cobrados por nossa passividade diante dessa máquina de destruição de direitos”

De: 22 de novembro de 2019 Notícias

No primeiro dia do XVI Seminário de Participantes de Fundos de Pensão, organizado pela Regional RS da Anapar, em Porto Alegre, o presidente da entidade, Antônio Bráulio de Carvalho, ressaltou a necessidade de mobilização para a garantia de direitos que hoje estão em risco. “A discussão sobre previdência e previdência complementar é, neste momento, fundamental nas nossas vidas – dos aposentados e dos que ainda estão trabalhando e que terão dificuldade de se aposentar, depois desta reforma”, afirmou. Ele acredita que, agora que a reforma da Previdência foi aprovada e sancionada, o PLP 268/2016, que coloca em risco a representatividade dos participantes nas entidades fechadas de previdência complementar volta à discussão no Congresso Nacional, por isso “temos que ter disposição para a luta, para manter essa conquista”. Outro desafio é defender os planos de saúde de autogestão, mais uma conquista dos trabalhadores que está sendo ameaçada. “A Anapar incorporou essa luta, a partir de decisão do congresso deste ano. Assim, nos consolidamos cada vez mais como entidade de defesa dos trabalhadores no período da aposentadoria e precisamos estar juntos com sindicatos, associações, entidades de defesa dos direitos dos trabalhadores. Todas as nossas conquistas estão ameaçadas. Temos que arregaçar as mangas.”

Participaram da abertura, além de Antônio Bráulio de Carvalho, os dirigentes regionais da Anapar/RS Itamar Russo, Joaquim Marchisio, Geraldo Lúcio Goes Cruz e Amaro Silva de Souza, e o dirigente da Anapar SC/PR Clenio José Braganholo. A primeira mesa, sobre “Cenário Econômico (Nacional e Internacional)” teve a participação de Bernardo Baggio (Economista Fundação CEEE) e Ricardo Franzoi (Economista do Dieese/RS). No segundo painel, “Comunicação nos nos novos Tempos”, Carlos Alberto Almeida, jornalista e correspondente da TeleSur no Brasil, e Juremir Machado, colunista do Correio Povo e professor Titular da Famecos/PUC discorreram sobre o papel da mídia tradicional na formação da opinião política e social dos brasileiros. Almeida fez um resgate histórico do apoio dos meios de comunicação a todos os golpes contra os trabalhadores. Machado trouxe à tona os limites do alcance das vozes da esquerda, que conta com poucos recursos e profissionais para uma concorrência de narrativas.

No segundo dia do evento, os palestrantes João Paulo de  Souza, representante da Anapar na Câmara de Recursos da Previdência Complementar (CRPC), Paulo Borges, representante da Anapar no Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), e Antônio Bráulio de Carvalho, presidente da associação, fizeram uma apresentação sobre a atuação nas instâncias da Previc e debateram sobre as propostas da entidade para aperfeiçoamento do sistema e previdência complementar. Para o presidente da Anapar, é urgente a necessidade de somar forças com as entidades de representação dos trabalhadores para defender conquistas acumuladas durante décadas e que estão sendo dilapidadas em uma velocidade assustadora por essa equipe de governo. “No futuro todos seremos cobrados por nossa passividade diante dessa máquina de destruição de direitos.”

As mesas de debates da parte da tarde trataram da “Reforma da Previdência e Fusão Previc/Susep – Consequências para o Sistema de Previdência Complementar” com os painelistas  Ricardo de Castro, assessor Jurídico da Anapar Nacional, e Valdete Severo, juíza do  Trabalho TRT4 e membro da Associação de Juízes pela Democracia, e Marcel Juviniano Barros, vice-presidente da Anapar e diretor da Previ. O momento foi marcado pela contundente fala da juíza, que denunciou a destruição dos diretos e garantias constitucionais, trabalhistas e previdenciários do povo brasileiro. A última mesa do Seminário tratou do novo desafio incorporado pela Anapar de defender os usuários dos planos de saúde de autogestão. Nesta oportunidade Francisca de Assis, diretora de Saúde da Anapar, e Plínio Pavão, assessor de Saúde da Fenae, falaram sobre os enormes desafios que estão sob a responsabilidade da pasta para evitar a extinção de mais esse direito dos participantes. De Assis fez um forte apelo em busca do apoio das entidades de representação dos trabalhadores, sindicatos e Associações, para que se incorporem à luta em defesa dos planos de autogestão. “A Anapar, com suas limitações, sozinha não conseguirá fazer o enfrentamento necessário para barrar os ataques colocados. Será preciso a união de todos para defender tanto o sistema público de saúde, como os planos de autogestão.”

Assista aqui os vídeos de alguns momentos importantes dos debates

Scroll Up
WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de atendimento está on-line. Preencha os dados abaixo e Fale Conosco!
👋 Olá, como posso ajudar?